Gestão de óleo

Os danos em componentes hidráulicos, geralmente 70% a 90% dos casos, são decorrentes de contaminações no sistema hidráulico. A gestão do óleo visa justamente evitar essas contaminações preventivamente, mantendo as suas injetoras ALLROUNDER sempre disponíveis e confiáveis.

A gestão de óleo não se restringe apenas a você, como operador, mas ela já começa na construção de uma máquina injetora. Com uma limpeza e proteção consistentes dos componentes, já de cara evitamos as contaminações iniciais do circuito hidráulico. Além disso, o primeiro funcionamento de todas as máquinas novas ocorre na matriz. E nesse processo, o grau de pureza do óleo utilizado é monitorado continuamente e o reservatório de óleo é evacuado antes e depois do teste interno.

Veja o que fazer

  • Evitar a presença de contaminações mediante uma gestão de óleo
  • Somente utilizar óleos hidráulicos do grau de pureza exigido: 18, 15, 12 (ISO 4406) ou superiores
  • Evitar o uso de produto convencional em tambores pois ele não corresponde à classe de pureza exigida e acaba ocasionando a presença de impurezas no sistema hidráulico
  • Armazenar os óleos hidráulicos de forma correta e filtrá-los antes do uso
  • Sempre utilizar filtros para agregados de partícula finíssimos ao encher ou completar o óleo hidráulico
  • Depois de encher ou completar o óleo: antes de ligar a bomba pela primeira vez, deixar o óleo desgaseificar por pelo menos uma hora e purgar bem o sistema hidráulico com movimentos lentos de deslocamento
  • Analisar a contaminação do óleo hidráulico regularmente. Análises laboratoriais permitem identificar um possível desgaste de componentes em bombas ou vedações, por exemplo
  • Eventualmente, limpar o óleo hidráulico com um filtro para agregados de partículas finíssimos em um circuito paralelo
  • Obedecer os intervalos de troca do óleo