Bocais de jato

Combinar várias matérias-primas em componentes multifuncionais em apenas uma etapa de fabricação é onde entra o processamento de plásticos. Um ótimo exemplo são os bocais de jato nos cabeçotes de duchas: a integração dos bocais de LSR elásticos nas bases rígidas de PBT permite remover as calcificações facilmente.

Os bocais de jato das duchas são fabricados, controlados e embalados em uma célula de produção baseada em uma injetora elétrica da linha ALLDRIVE que processa dois componentes de forma totalmente automatizada. Esse processamento possibilita a produção em série eficiente dessas ligações duro-macio complexas.

Destaques

  • Produto final pronto para uso: injeção, controle e embalagem, tudo em uma etapa totalmente automatizada
  • Uso eficiente do material: componentes fabricados sem galhos na técnica quente-frio
  • Qualidade à toda prova: tanto as passagens dos bocais de LSR quanto as sobreinjeções e subinjeções são controladas
  • Monitorização central: automação e periféricos integrados no comando de máquina SELOGICA
  • Tudo em um só lugar: a ARBURG oferece células de produção completas que consistem em injetora, automação e periféricos

Informações principais

Bocais de jato
Cavidades: 2 + 2
Peso da peça: 43.3 g
Material: PBT GF 30 + LSR
Tempo de ciclo: 40 s

Tecnologia

Máquina
Os bocais de jato dos cabeçotes de duchas são injetados em PBT e LSR em uma ALLROUNDER 570 A elétrica que processa dois componentes, equipada com duas unidades injetoras do tamanho 170. Em 40 s de tempo de ciclo, surgem dois pré-moldados e dois componentes prontos com qualidade constante.
ir para máquinas elétricas

Sistema robótico
Nas ligações duro-macio, como acontece nos bocais de jato, utiliza-se a técnica de transferência. O sistema robótico MULTILIFT arranja os pré-moldados no molde. Além disso, ele extrai os componentes prontos e os conduz para uma estação de resfriamento com controle óptico integrado e, em seguida, para a embaladora.
ir para sistemas robóticos lineares

Processo

Moldagem por injeção de múltiplos componentes
A separação térmica necessária para o processamento conjunto de termoplásticos e silicones líquidos em um molde é complexa: de um lado, o PBT precisa ser resfriado e do outro, o LSR precisa vulcanizar a altas temperaturas. A técnica de transferência é a sequência de processamento totalmente automática que permite isso.
ir para processo

Moldagem de silicone líquido (LSR)
Para a fabricação de componentes sem galhos é utilizada a técnica de canais quentes e frios, injetando diretamente a base em PBT e os bocais em LSR. Com isso, não há formação de resíduo e não há necessidade de reciclagem. O esvaziamento otimizado do recipiente no dispositivo de dosagem LSR também contribui para o uso eficiente de material.
ir para processo

Setor

Moldagem por injeção técnica
Na moldagem por injeção, é possível fabricar componentes de alta precisão para as mais variadas aplicações. A produção de bocais de jato é um exemplo de como uma técnica de moldes exigente e processos complexos podem ser automatizados.
ir para setor

Parceiro

Molde:Rico
Sistema de dosagem LSR:2KM
Estação de resfriamento:Barth
Sistema de câmeras:Fuchs
Embaladora:AVT