Moldagem por injeção técnica

Competitividade graças a uma produção eficiente

Com a técnica de moldagem por injeção da ARBURG, você fabrica componentes técnicos com custos unitários competitivos. Fique conhecendo, nestes vídeos, a linha de aplicação - desde microinjeção, passando por técnica de moldes complexa até a automatização e sistemas completos chave na mão - que fornecemos como responsáveis por todo o projeto.

Sensores de movimento

Célula de produção flexível produz o módulo do cabeçote do sensor
Para a fabricação da parte superior de um sensor óptico de movimento, a célula de produção com inserção manual do cartucho de peças é a solução ideal quando se fala em flexibilidade, capacidade, qualidade e custo. O tempo de ciclo é de 43 s, que proporciona tempo suficiente para atividades manuais complementares.

O ponto central da unidade projetada pela ARBURG é uma ALLROUNDER 470 A elétrica, com 800 kN de força de fechamento e injetora de tamanho 290. Dois módulos de cilindro, com 25 e 35 mm de diâmetro de rosca, fornecem pesos de injeção distintos. A célula de produção flexível, equipada com sete moldes, produz alternadamente as lentes frontais e inferiores e os cabeçotes. Os módulos são fabricados em 42 variações. O manuseio fica por conta de um sistema robótico MULTILIFT V, preparado exatamente de acordo com a tarefa: a parte inferior das pinças para os cabeçotes e a parte superior, para as lentes.

Microcontador

Peso de injeção de uns poucos miligramas
Micropeças de precisão, como, por exemplo, os microcontadores de apenas 0,004 g de peso, podem ser produzidos com alta qualidade em máquinas padrão otimizadas da ARBURG. Nossa microcélula de produção especial é uma solução eficiente para pesos de injeção da ordem de miligramas.

Precisão e conformidade com tolerâncias micrométricas você obtém, por exemplo, com a moldagem por injeção feita através da PPR, a rosca de posicionamento preciso. Para isso, é usada uma máquina injetora elétrica ALLROUNDER 270 A com unidade de microinjeção do tamanho 5. O manuseio das peças fica por conta do sistema robótico de atuação horizontal MULTILIFT H 3+1.
ir para peça moldada

Impressão digital

Novas dimensões: peças de plástico individualizadas
A integração do processo de etapas de fabricação precedentes ou posteriores melhora a eficiência de produção. Um exemplo perfeito disso é a impressão em linha flexível através do processo InkBOT, apresentado pela primeira vez ao segmento profissional internacional em 2012.

A célula de fabricação produzia crachás individuais. O novo processo InkBOT combina impressão digital com a robótica. Agora, com a impressão em linha, é possível também aproveitar as vantagens da impressão digital no setor das altas velocidades mesmo no caso de geometrias livres em processos de produção industriais. Até mesmo componentes plásticos abaulados podem ser impressos no processo de fabricação logo depois da moldagem por injeção, de forma rápida, sem aro e individualmente.

Junção em Y

Técnica tira-macho complexa
Para fabricar uma junção em Y para um tubo de escoamento de esgoto de 110 mm de diâmetro, utiliza-se um molde com uma complexa técnica tira-macho e segmentos de núcleo extensível. Os três núcleos extensíveis hidráulicos encontram-se totalmente integrados no comando SELOGICA.

O processo com núcleos laterais sincronizados evita danos ao molde: o núcleo principal é conduzido separadamente, sempre antes dos núcleos laterais. A junção em Y é fabricada em uma injetora hidráulica ALLROUNDER 820 S. A cuidadosa retirada do componente de 505 g de peso é realizada pelo sistema robótico MULTILIFT SELECT.