Máquinas hidráulicas

Versatilidade no equipamento e no preço

Nossas máquinas hidráulicas, com 125 kN até 5.000 kN de força de fechamento, podem ser empregadas das mais variadas formas e ajustadas individualmente a todos os processos de moldagem por injeção. Veja aqui, por exemplo, nossas grandes ALLROUNDER S e a série básica GOLDEN EDITION em diversas aplicações.

Pegadores para serrotes

Combinação duro-macio com sensação ao toque
Uma célula de produção relacionada com a ALLROUNDER 570 S hidráulica produz pegadores para serras de jardim da empresa Gardena feitos de PP reforçado em 40% com fibra de vidro e TPE com sensação de toque (e 25% de reforço de fibra de vidro) empregando molde de injeção 1+1, em um ciclo de produção de aproximadamente 35 s.

A máquina injetora está equipada com uma célula robótica compacta. O robô de seis eixos AGILUS, posicionado sobre uma placa móvel, se move sobre um eixo linear em direção transversal à máquina, retira e transporta os pegadores até uma estampadora e para serem inspecionados pela câmera, depositando depois os pegadores sobre uma esteira transportadora. A célula robótica se encontra integrada no comando da máquina, do mesmo modo que as funções do molde de injeção, e pode ser programada com facilidade graças à interface de operação SELOGICA.

Roda de controle

Somente um passo até o componente funcional
A produção rentável de componentes funcionais em uma mesma etapa é um campo específico do processamento de plásticos. Um bom exemplo disso são os botões de comando para o interior de carros: A combinação objetiva de materiais dá lugar a peças de plástico de alta qualidade com superfície de toque suave.

Os botões de comando são fabricados em uma máquina injetora hidráulica de três componentes ALLROUNDER 570 S em uma sequência de processamento totalmente automática. Isto permite que componentes funcionais exigentes sejam produzidos em série e em grande escala de forma eficiente. Primeiramente, é injetado o corpo principal transparente em PC, depois uma área visível galvanizável em copolímero de acrilonitrila, butadieno e estireno e, como terceiro componente, TPE sensível ao toque.

Moldagem por injeção de compósitos de espuma de partículas

Elemento em compósito de espuma de partículas
Ao realizar a Moldagem por Injeção de Compósitos de Espuma de Partículas (MICEP), ocorre a combinação de um inserto em espuma de partículas com o plástico. A fundição definida da superfície do inserto espumoso na moldagem por injeção do plástico cria uma peça leve com ligação mecânica duradoura e não há mais etapas de montagem posteriores.

Uma injetora hidráulica ALLROUNDER 270 C GOLDEN EDITION, por exemplo, produz rodas de aviões para aeromodelismo. O processo começa colocando um pneu em EPP no molde onde, depois, é injetado o aro em PP. A injetora do tamanho 70 trabalha com uma rosca de 18 mm e um bico injetor aberto. O tempo de ciclo totaliza 60 s e o peso da peça, 3,4 g. A automação fica por conta de um sistema robótico linear, o MULTILIFT SELECT. E no final de tudo, as peças depositadas em uma esteira transportadora são embaladas em sacos.

Tampas de alojamento

Espumas no ciclo da moldagem por injeção
Como contratante geral, a ARBURG, junto com seu parceiro Sonderhoff, desenvolveu o processo em linha MOLD’n SEAL, em que a moldagem por injeção é imediatamente seguida pela etapa de aplicação de espumas PUR. Com isso, você economiza tempo, recursos e espaço e consegue um nítido aumento na eficiência da produção.

Um robô hexa-axial retira as tampas de alojamento ainda quentes da injetora hidráulica ALLROUNDER 570 S e transporta-as sob um equipamento de dosagem, acompanhando precisamente o contorno, onde é aplicada a espuma PUR. Não existe mais a camada intermediária e o tempo de cura é claramente reduzido.
ir para peça moldada